Brasil
25 de junho de 2021 Crise e desemprego atingem de forma drástica migrantes e refugiados
O desemprego atingiu mais de 14% dos brasileiros no início de 2021, mas, segundo o ACNUR, a situação é ainda pior para os refugiados. Em 2020, durante a pandemia, o Brasil recebeu cerca de 29 mil solicitações de refúgio.



POR ELIANE GONÇALVES

 

A crise econômica e desemprego atingiram em cheio migrantes e refugiados. Dados do IBGE mostram que o desemprego no Brasil passou de 14% no primeiro trimestre e atingiu o recorde de 14 milhões e 800 mil brasileiros. Mas, para Gisele Netto, do Acnur, a Agência das Nações Unidas para Refugiados, o cenário é pior para os que vivem como refugiados.

 

Para quem é de fora, os obstáculos começam pela língua, as diferenças culturais, a xenofobia e a regularização da documentação. Padre Paolo Parise, da Missão Paz, em São Paulo, diz que antes da pandemia o governo vinha restringindo a entrada de migrantes e refugiados, mas com a pandemia foram editadas 29 portarias impondo restrições à entrada de migrantes no país e a situação se agravou.

 

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos recomendou ao governo federal a alteração da Portaria 654, de maio de 2021, para facilitar a entrada de migrantes em situação de vulnerabilidade. Mas Rodrigo Larferté, coordenador do Conare, Comitê Nacional para os Refugiados, órgão vinculado ao Ministério da Justiça, diz que as restrições impostas não afrontam os tratados internacionais, já que se fizeram necessárias em função da pandemia do coronavírus.

 

O relatório Refúgio em Números, divulgado nessa terça-feira pelo Observatório das Migrações Internacionais, mostra que no ano passado o Brasil recebeu pouco menos de 29 mil pedidos de reconhecimento da condição de refugiado. Em 2019, foram quase 83 mil solicitações.



ver mais notícias


Receba nossa newsletter Assine nossa newsletter e receba novidades por e-mail
Seu E-mail foi cadastrado com sucesso!
OpsSeu E-mail já está cadastrado em nosso newsletter!
ATENÇÃOO formato do e-mail está incorreto.
© Missionárias Scalabrinianas. Todo o conteúdo deste site é de uso exclusivo de Missionárias Scalabrinianas. Proibida reprodução ou utilização a qualquer título, sob as penas da lei. All rights reserved.