Igreja
8 de março de 2021 Papa com o pai do pequeno Alan, afogado na costa turca em 2015
No naufrágio ocorrido na tentativa de chegar à Europa, também perderam a vida a mãe do menino, Rehan, seu irmão Galip, de 5 anos. Foi o próprio pai, único familiar sobrevivente do naufrágio, a sepultar sua família na cidade curda de Kobanî.

 

Ao final da da Santa Missa no Estádio Franso Hariri, em Erbil, o Papa Francisco encontrou-se com o Sr. Abdullah Kurdi, pai do pequeno Alan, cujo corpo foi encontrado na praia de Bodrum, na Turquia, em 2 de setembro de 2015, após um naufrágio. As imagens de um agente carregando o pequeno corpo sem vida registradas pela fotógrafa turca fotógrafa turca Nilüfer Demir, comoveram o mundo.

O Papa Francisco passou muito tempo com ele, e com a ajuda do intérprete, pôde escutar a dor do pai pela perda da família, e expressar sua profunda participação e a do Senhor no sofrimento do homem.

O sr. Abdullah expressou sua gratidão ao Santo Padre pelas palavras de proximidade com sua tragédia e com a de todos os migrantes que buscam compreensão, paz e segurança, deixando seu país e colocando suas vidas em risco. E presenteou Francisco com uma imagem que recorda seu fillho.

 

Após a tragédia, o Papa fez um premente apelo pela acolhida dos refugiados no Angelus de 6 de setembro de 2015:

Face à tragédia de dezenas de milhares de refugiados que fogem da morte devido à guerra ou à fome, e estão a caminho rumo a uma esperança de vida, o Evangelho chama-nos, pede-nos que estejamos «próximos», dos mais pequeninos e abandonados. A dar-lhes uma esperança concreta. Não dizer apenas: «Coragem, paciência!...». A esperança cristã é combativa, com a tenacidade de quem caminha rumo a uma meta segura.

 

No naufrágio ocorrido na tentativa de chegar à Europa, também perderam a vida a mãe do menino, Rehan, seu irmão Galip, de 5 anos, e pelo menos outros doze sírios que estavam em outros dois barcos com destino à costa grega. O pai, Abdullah, foi o único membro da família a sobreviver ao naufrágio. E foi precisamente ele a sepultar a esposa e os dois filhos na cidade curda de Kobanî, onde Alan havia nascido.

A família já havia mudado de cidade em várias oportunidades, na fuga desesperada do autoproclamado Estado Islâmico, vindo a se estabelecer na Turquia em 2014, onde o sr. Abdullah havia conseguido um trabalho. Eventualmente visitava a família na Síria. Em 2015 haviam retornado para o Curdistão iraquiano, mas diante de nova ofensiva do EI, retornaram a Turquia, e daí a decisão de atravessar o Mar Mediterrâneo.

A morte de Alan Kurdi tornou-se um símbolo do drama vivido por milhares de migrantes e refugiados que fugiam da guerra, da violência, da fome e da falta de perspectiva.

Em 16 outubro 2017, Dia Mundial da Alimentação, o Papa Francisco presenteou a FAO com uma escultura em mármore do pequeno Ala, obra do artista trentino Luigi Prevedeln. Francisco havia recebido a estátua de presente durante uma Audiência Geral.???

 

Imprensa Scalabriniana com Vatican News



ver mais notícias

Imagens da Semana On Monday, January 25, 373 migrants on board the Ocean Viking were disembarked in the port of Augusta in Sicily. The migrants had been rescued from three different small boats in the space of 48 hours.

Mais imagens
Receba nossa newsletter Assine nossa newsletter e receba novidades por e-mail
Seu E-mail foi cadastrado com sucesso!
OpsSeu E-mail já está cadastrado em nosso newsletter!
ATENÇÃOO formato do e-mail está incorreto.
© Missionárias Scalabrinianas. Todo o conteúdo deste site é de uso exclusivo de Missionárias Scalabrinianas. Proibida reprodução ou utilização a qualquer título, sob as penas da lei. All rights reserved.