Mundo
22 de fevereiro de 2021 OIM quer medidas rápidas para acabar com abusos contra migrantes na Europa
Apelo da agência surge após novos relatos de violações de leis internacionais; comunicado cita brutalidade sofrida por migrantes e refugiados; recomendações incluem melhorar políticas e práticas de governação de migração e asilo.

 

A Organização Internacional para Migrações, OIM, quer medidas urgentes pelo fim da resistência, das expulsões coletivas e do uso da violência contra migrantes e refugiados na União Europeia, UE, e seus Estados-membros.

As crianças também sofrem com as práticas que acontecem em limites exteriores do bloco e nas fronteiras marítimas, destaca a agência. 

 

Direitos Humanos 

 

Em comunicado, emitido em Genebra, a OIM aponta relatos documentados de violações dos direitos humanos e do direito internacional e das suas convenções, incluindo a Convenção Europeia dos Direitos do Homem. 

As informações recolhidas de vítimas, depoimentos e fotos divulgadas por  ONGs e meios de comunicação ilustra o“nível de brutalidade” a que as vítimas foram submetidas antes de serem devolvidas em fronteiras marítimas e terrestres.

O chefe de Gabinete da OIM, Eugenio Ambrosi, declarou que é injustificável o uso de força excessiva e da violência contra civis.

Para o representante, a soberania dos Estados e a competência para manter a integridade de suas fronteiras deve estar alinhada com as obrigações de acordo com o direito internacional, respeito aos direitos humanos e liberdades fundamentais de todos.?

 

 

Direito Internacional


A OIM realça ainda a proibição de resistência e expulsões coletivas pelo direito internacional e pela UE, ao condenar “da forma mais veemente” os abusos a migrantes e refugiados em qualquer fronteira.

Na nota, a agência elogia as investigações recentemente iniciadas por vários países e órgãos europeus sobre alegados atos, como violações do princípio de não-repulsão e violência nas fronteiras.

Para a OIM, a situação é alarmante em algumas das fronteiras da UE onde é preciso “melhorar a política, a governação de migração e asilo e implementar práticas humanas e integradas com base em direitos.”

O apelo surge num momento em que está em negociação a proposta da Comissão Europeia sobre o novo Pacto sobre Migração e Asilo. 

O pedido feito aos Estados-membros é que criem um mecanismo independente de monitorização das fronteiras, trabalhando em estreita colaboração com a Agência dos Direitos Fundamentais, como uma forma eficaz de garantir a responsabilização e conformidade com as leis internacionais e da UE.?

 

Chegadas


Em janeiro, a Agência da ONU para Refugiados, Acnur, alertou sobre o que chamou de ameaças ao direito de asilo nas fronteiras da Europa num apelo aos países para que investiguem e parem com medidas de repulsão e expulsões ilegais.

De acordo com o Acnur, o movimento de chegadas de novos migrantes à UE continua a diminuir. 

Em 2020, cerca de 95 mil pessoas chegaram por mar e terra, no que corresponde a uma baixa de 23% em relação a 2019. O total corresponde a um terço dos mais de 141 mil recém-chegados em 2018.?

 

Imprensa Scalabriniana com ONU



ver mais notícias

Imagens da Semana On Monday, January 25, 373 migrants on board the Ocean Viking were disembarked in the port of Augusta in Sicily. The migrants had been rescued from three different small boats in the space of 48 hours.

Mais imagens
Receba nossa newsletter Assine nossa newsletter e receba novidades por e-mail
Seu E-mail foi cadastrado com sucesso!
OpsSeu E-mail já está cadastrado em nosso newsletter!
ATENÇÃOO formato do e-mail está incorreto.
© Missionárias Scalabrinianas. Todo o conteúdo deste site é de uso exclusivo de Missionárias Scalabrinianas. Proibida reprodução ou utilização a qualquer título, sob as penas da lei. All rights reserved.